perto do fim

Ele não entendia o porquê de tanto silêncio
Dias e mais dias ele passava sem uma palavra sequer
Começava a perceber a decisão de esquecê-lo
Decidiu então que revidaria da mesma forma
Os dias de conversa
As palavras simples de afeto
As mínimas demonstrações que algo havia sentido
Resolvera apagar de registros e de sua memória
Porém o contrario acontecia
A cada dia pensava mais e mais nela
Lembrava de cada palavra trocada
Das juras feitas de amor e espera
Arrependeu-se de ter começado a esquecê-la
Chegou a ver em outras pessoas a imagem dela
Parou na rua para analisar alguém que acreditava ser ela
Mesmo sabendo que ela se encontrava a muitos quilômetros de distancia
Aquilo o consumia de tal forma
Que mais uma vez isso aconteceu
Percebeu em outra pessoa aquele mesmo rosto
Aquele mesmo tipo físico
Os cabelos lisos, negros e compridos
Os olhos verdes e os lábios vermelhos
O detalhe da timidez num olhar escondido
Ele já não sabia se sonhava ou se vivia
Se este era seu karma
E um castigo por tentar apagá-la de sua memória
Ou se era loucura de sua mente
Imaginando estar perto de quem não se pode ter ao lado
Tentando trazer quem tanto quer encontrar
Não sabia se devia seguir em frente
Na tentativa de viver a vida sem a presença dela
Ou continuava sonhando com o dia que ela voltaria
Mais uma vez a musica dava a dica
E era exatamente o que seu coração ansiava.

“No, no, no, no,
I will never forget,
I will never regret,
I will live my life. “

Anúncios

regret

Cada momento e cada escolha que fiz em minha vida
Me trouxeram até aqui
Deste ponto posso partir em diversas direções
Somente eu posso escolher
Pra onde seguir
A primeira escolha é entre seguir meus sonhos ou a realidade
Se corro atrás do que não sei se é certo
Ou vou na direção do certo deixando sonhos pra trás
Se escolho por meus sonhos não sei qual deles escolher
Ser feliz ou ter sucesso
Escolhendo pelo caminho da realidade
Me resta escolher viver o que não desejava
Fazendo o que não desejava
Tendo ao meu lado quem não desejava
Mas não sofro no caminho
Não me perco no caminho
Mas ao fim o que resta?
Sonhos que não se perderam
Arrependimentos e rancores
Dias perdidos sonhando com os sonhos
Os mesmos que deixei pra trás
Os mesmos que não tive coragem de procurar
O que resta é o sofrimento
Por não ter vivido o que desejava
Perceber que a vida foi desperdiçada.