deadline

Eu sigo aqui
Com o silêncio aterrador
E com a solidão que me escarnece

Sigo esperando uma palavra qualquer
Esperando sempre talvez um pouco demais
Sempre pelo que não deveria

Me esforço pra lembrar
De minha promessa a mim mesmo
E que o deadline se aproxima

Espero que o silêncio não se estenda
Que a dor seja passageira
E os dias breves

Viver em contagem regressiva
É pedir de mais a quem não soube viver

Morrer sem viver
É castigo o suficiente até pra um qualquer

Sofrer sabendo sofrer
E não dar um fim
É burrice suficiente
Mesmo pra um estúpido descrente.

in a darkened room

No silêncio da noite
o calor quase me ensurdece
A angústia da insônia
e das tuas lembranças
Me dão a impressão de estar em coma
No calor fatigante
chego a sentir frio quando lembro de você
Os calafrios que percorrem
Cada parte de minha pele
São um aviso de que essas lembranças
Atualmente, não são bem-vindas
Do escuro do meu quarto
vislumbro teus dias mais felizes
E da minha solidão complacente
vejo você feliz e acompanhada
Mas peço a Deus
que quando estiver nos braços dele
Sonhe estar nos braços meus
Assim como penso em você
Sempre que tenho meus braços vazios.

solitude e solidão

Não me restou nada
A mente vazia não me permite escrever nada
Os dias vazios não me dão nada
A vida vazia não me mostra nada
Nada surge de uma mente infértil
Apenas as lamurias que não me abandonam
As palavras belas que eu tinha para ela
Onde estão?
As palavras de ódio regurgitadas em fúria
Onde estão?
Posso ouvir o sopro surdo que vive em minha mente
O hiato longo e profundo
Apenas a sua falta para me completar
Nada me restou nesses dias vazios
Nem tua presença fictícia
Nem meu amor shakespeariano
Tudo o que sobrou foram os ventos outonais
Que me assolam
Levando daqui tudo o que não me restava.

restos de uma noite sem fim

O que me resta de uma noite sozinho
Apenas com o ressonar de minha companheira canina
É rever os rostos das amadas que tive
E dos sorrisos que nunca encontrei de verdade
Analisar fotos
E imaginar diálogos de um tempo perdido
A solidão me permite as lembranças mais profundas
E a única coisa que me trás à realidade
É o ressonar de minha companheira canina.

loneliness and sickness

Pensando na vida, e na falta de vida.
Vivendo, e morrendo aos poucos a cada dia.
O sentimento e a vontade de desaparecer por completo ultimamente tem me parecido sublime.
Sempre flertei com a morte, mas como com qualquer outra donzela tive medo de me aproximar.
Tantas vezes escrevi sobre essa atração, e tantas outras senti vergonha por tal afeição.
Impossível será esquecer algum dia essa velha paixão.
Mas enquanto nenhum fato é consumado,
Vou escrevendo sobre essa minha solidão.