das juras de amor

Quero escrever aquelas cartas de amor
E sangrar meu coração pra você
Mas estou tão cansado
Dessas palavras de amor tão clichê

Os dias de paixão angustiante se foram
Ficaram os fantasmas da angustia
Ficaram as lamurias de sempre
E o vazio que você me deixou

Acato ao desejo do meu coração
De te desejar para todo o sempre
Mas não sei mais escrever aquelas juras de amor

Não por não saber
Mas por ter repetido tantas vezes
Que já me nego a reinventá-las

Só espero que você se lembre
E que se tenha duvidas
Lembre-se de tudo o que já te jurei por amor.

Anúncios

rimas espectrais

O alvorecer de um novo dia desponta no céu
E já posso ouvir os bem-te-vis em minha janela
Pergunto aos fantasmas que somem com o fim da madrugada
E se assustam com o brilho da alvorada
Desses novos dias o que realmente me espera
Tais criaturas são mudas e sem visão
E percebo que não podem na verdade me dar caminho ou direção
O fato é que num ultimo adeus eles me apontam o coração

Sabio conselho de espectros malfadados
Apesar de não saber ao certo se seguia a voz da razão
Sobretudo sei que sempre segui meu coração

Ao tentar escutar os ultimos sussurros da noite, nada ouço
Nem ao menos o cantar dos bem-te-vis ou o crocitar dos corvos
Espero que a manhã venha abençoada para mim e para você
Livre de todas as possiveis alucinações
E que dê um novo animo para nossos debilitados corações.