entre sonhos e realidade

Passava horas e horas apenas olhando

E sem saber o que fazer minha mente fugia pra você

Os pensamentos passavam devagar

Sem me deixar perceber quantas horas deixava passar

Talvez pensar em você seja tudo o que eu queira fazer
Mas já me perdi demais tempos atrás
Pensando que pensar seria o suficiente para amar
Me deixei perder nos pensamentos que me levavam a você
E agora é em você que minha mente se perde a vagar

Acordar de sonhos assim
É quase como percorrer uma maratona
Sem competir com ninguém

Só me resta o fim sem recompensa alguma.
Só me resta o fim e a realidade crua.

Anúncios

exílio, sonhos e realidade

Os dias que passaram sem palavra alguma
Me parecem agora como horas de uma espera angustiada
Desejando que o silêncio seja quebrado
Mesmo sabendo que nem mesmo o silencio se encontra por perto
Você foi deixado num ponto em que nada o alcança
O esquecimento é apenas uma vaga lembrança do que deveria ser
Foi largado ao esquecimento
Seus desejos de voltar ao passado que nunca existiu
São tentativas de se encontrar nesse exílio maldito
O exílio das palavras e sentimentos
Você pode esperar que seus desejos se realizem
Mas tem a certeza que a realidade não será essa
A questão é por quanto tempo continuará se enganando
E fingindo que engana alguém com o que você próprio quer se enganar
Essa questão já não pode ser resolvida mais por você
Você apenas segue vivendo
Esperando que o futuro que você sonhou
E as esperanças que você depositou nas mãos de outro alguém
Não terminem na realidade que agora existe
Mas sim nos sonhos em que você acreditou.

vivendo em verdadeiras mentiras

ELE

Ele não tinha vida
Ele não tinha companhia
Ele não tinha nada
Ele apenas queria
Queria saber como viver
Ele apenas vivia
Um dia após o outro
Pensando
Pensando no que faria
Vivendo outra vida
Vivendo a vida de outros
Tentando na alegria alheia
Encontrar sua própria alegria
Ele não sabia o que era a alegria
Ele apenas vivia
Tentando se encontrar
E encontrar a companhia
Que não tinha
Tentava viver as custas de outros
Tentado viver sem saber
Sem realmente saber o que fazer
Ele somente fazia
Sem saber no que se tornaria
Rezava
Sem saber se encontraria
Alguma razão pra sua vida
Ele bebia
Bebia sem saber o porque bebia
Ele fumava
Sem saber o porque fazia
Sem saber qual era o gosto
Simplesmente estava em sua fantasia
Vivia em fantasia
Sem saber ao menos no que fantasiar
Apenas seguia
No seu universo paralelo
Tentando rir em demasia
Mas no fim
Sempre desistia
Não era sua verdadeira vontade
Tentava chorar
Mas não conseguia
Lagrimas
Em seu vocabulário não existia
Ele apenas ia vivendo
Fingindo
Fingindo saber viver
Fingindo que aprenderia.