o ultimo sentimental

Eu já ouvia os passos da perseguição alucinante
As vozes dos perseguidores gritando em meu encalço
-Morte ao sentimentalismo! Morte ao sentimentalismo!
-Que absurdo, eu pensava
E respondi a plenos pulmões
-Não se pode matar o sentimentalismo!
-Eu mesmo sou apenas um meio! Isso está arraigado a minh’alma!
O rugido feroz dos céticos estrondeou em minha volta
Eu podia sentir o ódio dos que não amam ao meu redor
Então a resposta veio num sussurro quase inaudível
-Arrancaremos pela raiz. Arrancaremos pela raiz.
Eles queriam apenas meu sangue
E acabar com o ultimo sentimental
Então gritei num ultimo ato de desespero
-Vocês nunca triunfarão! Pois do amor, e não da razão, nascerão suas sementes, e é ali que o sentimentalismo nasce. E mesmo que hoje, seja eu, o ultimo sentimental, amanhã virão outros, vindos de dentro de vocês!
Então das sombras eles surgiram
Os céticos, os ateus, os que não amavam e os que apenas odiavam
Então sem dor, sem medo, apenas sabendo que havia acontecido
Eu estava acabado, mas o sentimentalismo estava lá
Pairando sobre suas cabeças e arraigado em alguma alma que não se revelava
E este foi o fim, do ultimo sentimental
Então desapareci, tendo apenas em meus ouvidos o ultimo aviso, daqueles que não amam e nem se deixam ser amados
-Morte ao sentimentalismo! Morte ao sentimentalismo!

Anúncios

transfiguração

Sou o que tu me pedes para ser
Teu porto seguro
Teu vazio em dias mortos
As tardes quentes de verão
E o calor que te falta no inverno
Quando pedes sou teu chão
E te cubro como um céu de algodão
Sou teu amante obscuro
Sou teu santo, teu amigo
Quando pedes me viro em dois
E quando precisas sou o único que te serve
Sou um nada quando não precisas de mim
E sou tudo o que você sempre quis
Quando não falta nada
Sou apenas eu mesmo
Esperando que tu sejas minha
Sendo você mesma
Sem mais nada a esperar
Sem mais nada em entrelinhas

sobre o fim do sentimentalismo

No fim das contas percebo que não sou maquina
E que não posso escrever sobre o que não sinto
Das palavras de amor e depressão que sentia
Dos sentimentos que me corroíam
De tudo aquilo que me deixava em estado de suspensão
Estar vazio de sentimentos é pior do que completo de tristeza
Estar num estado que nada me afeta realmente me preocupa
Não ter a quem amar
Não ter o que odiar
Apenas seguir uma vida sem sentido
Sem sentimento
Até que algo me chame atenção novamente
Vou vivendo sem ser mais um tolo sentimental
Por um tempo
Apenas o tempo em que você volte a me fazer sentir
Tudo o que sentia por você.