no goodbyes

Eu não sei o porque
De pessoas entrarem em minha vida
E saírem dela sem mais nem menos
Eu não estava procurando por nenhuma delas
E mesmo assim elas chegaram
Conquistaram parte do meu ser
Me influenciaram e deixaram boas lembranças

Mas de repente desapareceram
As pessoas tem o dom de fazer isso
Apenas desaparecer da vida de outro alguém
Elas não tem a noção da responsabilidade que assumem
Ao conquistar a afeição de outro alguém

Eu não pedi pra que você chegasse me alegrando
E fazendo da minha vida um pouco melhor naqueles dias
E agora você vai embora da mesma forma como chegou
Sem dizer adeus ou coisa que o valha

Ouço os passos da fuga desenfreada
Eles se foram sem deixar vestígios
Talvez jamais os veja novamente

Mas se for voltar
Peça licença, bata na porta
E me pergunte se quero realmente
Ter você em minha vida
E me traga um contrato assinado
Dando garantia
De que jamais irá embora novamente.

apenas mais um adeus

Penso se é suficiente cada dia e hora que passo gastando pensando em mim, em você, em nós e talvez em mais alguém
Já não sei se sou suficiente pra você ou se você é suficiente para mim
Estamos nessa encruzilhada final onde não sabemos nem pro bem nem pro mal
Se estamos nos direcionando corretamente ou se estamos perdidos entre olhares e sorrisos
Se seus lábios se abrem ou não, se sorriem pra mim já não sei, pois faz séculos que não os vejo sorrindo pra mim
Talvez o jeito seja estarmos pertos novamente
Apenas para que os abraços imaginários tomem forma
É obvio que não acontecerá, mas pensar nisso apenas me faz lembrar que talvez nunca veja seus olhos olhando nos meus
Ou escutarei teus sussurros doces saindo de teus lábios da forma que eu realmente imaginava
Talvez minhas idéias tenham passado dos limites e em meus sonhos eu tenha apenas me tornado o teu perseguidor
Assim como quando a sua falta me faz correr atrás de fotos e palavras antigas e lembrar de que você falava de sonhos e futuro tão lindamente que me conquistavam a cada – se – e a cada – porque –
Agora o futuro já não existe por que não existiu um real presente entre nós
Todos os sonhos, planos e desejos foram jogados pela janela em um dia chuvoso
Tudo se foi entre os ralos do presente que joguei fora
E nada será desse futuro que planejei com tanto empenho
Eu sei que não é justo, sei que não foi justo com ninguém
Mas os sonhos apenas vêm, sem querer, de forma inesperada e incoerente
Realmente espero que um dia você entenda assim como agora entendo que você apenas se defendia de minhas vontades e minhas palavras
Agora digo adeus para que possamos viver nossos sonhos sem que estejamos ambos, um no sonho do outro
Digo adeus para que possamos viver livremente sem a sombra de um passado não vivido
Adeus, adeus.

a despedida

Como posso dar adeus pra alguém quem nunca conheci
Como poder dar adeus estando longe há muito tempo atrás
Como poder sentir a falta de alguém que está indo embora
Se eu fui embora antes
Como amar alguém desconhecido
E que já dei adeus mais de uma vez
Como esperar estar junto de alguém depois de tantas despedidas
Fui embora sabendo que ela também iria
Mas agora sinto sua falta mais que nunca
Mesmo sem tê-la em meus braços ao menos uma vez
Mesmo sem nunca ter sentido seus lábios nos meus
Mesmo sem ter seus olhos verdes olhando nos meus
Como posso sofrer por esse adeus se o primeiro adeus foi meu
Como saberei se haverá um reencontro se nunca houve o primeiro encontro
Esse tipo de amor confuso me faz mais confuso a cada dia
Esperar ter alguém de volta
Alguém que nunca tive na verdade
Esperar que possamos nos reencontrar algum dia
O reencontro que fosse a primeira vez que te encontraria
Continuo esperando sem saber se um dia você voltará
Continuo dizendo que sim, que meu amor é seu
E que espero te ter em meus braços novamente
Novamente em meus sonhos
Pela primeira vez
E por toda a minha vida.

hasta luego, bye, ciao, até breve.

ciao

Caros leitores, desocupados, amigos e afins.
Esse post vem com dois propositos, o primeiro é antes de tudo, agradecer a todos os acessos e a paciencia de todos em visitar esse blog e perder seu valioso tempo lendo minhas besteiras. A todos que entram e aos que comentas esporadicamente, meu muito obrigado por me darem animo para continuar postando sempre.
O segundo proposito é avisar que este blog ficará hibernando por um tempo, geralmente hiberna-se no inverno, no caso do E.P. ele hibernará no verão. Ficarei completamente impossibilitado de postar por algum tempo, juro que tentarei colocar uma coisa ou outra, mas será praticamente impossivel.
Mas para aliviar (ou não) a tristeza de vocês eu posso garantir que voltarei, o mais provavel que seja no meio do ano que vem, e tenho certeza que voltarei cheio de estupidez pra postar nesse blog.
Espero que vocês tenham paciencia em relação a demora, e convido vocês a relerem  os posts antigos quando sentirem saudades, e acessarem o endereço antigo do blog que está ali na lista de links.

Como é de costume meu, geralmente posto uma mensagem de fim de ano, porém diferente do comércio, me nego vender o natal e ano novo tão cedo. Espero apenas que todos vocês tenham um fim de ano maravilhoso. Que 2010 seja o melhor ano de suas vidas e que continuem a acessar o E.P. no ano que vem!

Um grande abraço a todos,
Felipe Mentiaca.