juras de um covarde

Eu bolei mil juras de amor durante a semana
Pensava nela
Criava rimas com seus olhos
Depois rimava com seus lábios
Ouvia a sua voz até no canto dos pássaros
Agora chegou o fim-de-semana
Aquelas palavras de amor se perderam
Pois a covardia me consome
As juras de amor
Fogem de meus lábios
E seus lábios
Já não são tão rubros
E seus olhos já não brilham mais
Quem se deixa vencer pela covardia
Deixa de viver dia após dia
E a esperança de que ela saiba do seu amor
Vai embora
Deixando aqui apenas o remorso e o rancor.

Anúncios

2 comentários sobre “juras de um covarde

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s