entre vícios e lembranças

O que a distancia nos trouxe
Se não o silencio e a solidão
Sempre soube que de fato seria assim
Mas quem iria acreditar
Que estar longe
Me trás você todos os dia pro pensamento
Entre cigarros apagados
E whiskys baratos
Nossas ultimas palavras são sempre o que me atormentam

Quem disse que a distancia nos faria bem
Se tudo o que ficou entre nós foram as palavras não ditas
Aqueles que acompanham nossa tragédia
Riem dessa bela comedia mal escrita

Enquanto eu crio vícios pra te esquecer
Acabo me lembrando de você nesses malditos rituais
Entre os cigarros que acendi
E deixei queimarem sem nenhuma tragada
O que trago no peito agora não é a fumaça
Não é a bebedeira em uma dose de cachaça

É a dor estampada
A dor que cobre a minha cara
A falta que você me faz
As lembranças que você me trás
Nessa vida que não para.

Anúncios

2 comentários sobre “entre vícios e lembranças

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s