das buscas sem fim

Das tormentas de uma vida
Ai, as dores já eram inesgotáveis
E dos torpores noturnos
Intermináveis
Sabia que em vão tentaria a cura
Mas sabê-lo  não faria
Com que encontrasse o que procura
Dos tempos execráveis que perdia
Não sentia
Sequer a brisa matutina
Quando estava em sua janela
Quando pro sol sorria
Ouvia o cantar da cotovia
E jamais entendera
Por que cantar pra mais uma noite que perdera
O véu que lhe cobria a face
Escondia
A sofreguidão de toda uma vida
Mas o sorriso sujo e mal cuidado
Avisava
Que sua busca ainda não havia acabado.

Anúncios

2 comentários sobre “das buscas sem fim

  1. Tiacaaaa!!! Achei seu blog novamente e como sempre amo o que vc escreve… você já fez um livro??? Não te interssa lançar um próprio? Sob seu próprio selo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s