tragicomedia

Tantas noites passava a questionar-se
Dos amores que teve
Das conquistas que obteve
Dos dias que viveu
E de todos que conheceu
Sabia que a vida que tinha
Era conseqüência apenas de seus atos
Mas rezava diariamente para que seus atos fossem outros
Sabia que tudo dependia dele mesmo
E sabia que não era forte o suficiente para mudar
Se questionava diariamente se estava fadado aquela vida
Se continuaria a sonhar em ter o que não podia
Dos amores que não vivia
Dos dias que perdia
Sabia apenas que continuaria a viver
Por tempo indeterminado
Errando da mesma forma de sempre
Pois essa era a única forma em que ele sabia viver
A única forma de viver seu personagem tragicômico
Rindo de sua desgraça
Vivendo de suas imbecilidades
Arrancando sorrisos alheios com sua mediocridade
Vivendo a vida que lhe fora destinada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s