dos olhos verdes

Dos olhos verdes que tanto escrevi
Já não lembro mais o tom e matiz
Tanto tempo sem encontrá-los
Meus desejos e duvidas
Já não fazem mais sentido
Sem ao menos lembrar
O porquê tais olhos me fascinam
Os mesmo olhos que me atraiam
Hoje me olham com indiferença
Cada dia que passei a persegui-los
Me dizem que talvez foram dias perdidos
Os dias que sempre quis encontrar
Das horas que gastei
Dos olhos que olhei
Dos sonhos que criei
Lembro apenas dos olhos a me fitar
Um brilho puro que me invadia
Na escuridão de minha vida
Os dias que passaram me deixaram a duvida
Se aqueles olhos voltarão a brilhar
Se a indiferença que neles agora habita
Se dissipará um dia enfim
Se eles me dirão mais uma vez que devo sonhar
Se me indicarão um caminho no qual seguir
Pois o abismo em que me perdi outrora
Já não passa de uma poça rasa agora
Espero me perder novamente na profundidade daqueles olhos
E que dessa vez apenas suas mãos possam me resgatar
Pois não sei até quando
Aos olhos verdes
Continuarei a me entregar.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s