Surgi vindo não sei de onde
Apenas nasci de um amontoado de coisas
Porém sem esperar
Me vi num espancamento irracional
Numa surra vinda não sei de onde
E nem qual era seu motivo
Sem consciência, apenas senti um pano jogado em mim
Pensei:
Morri!
Mas pensando que morria
A consciência ressurgia
Foi quando o pano sumiu
E vi um bisturi
Que terror pensei
E um corte senti
Fino
Longo
Sem fim
Dor já não existia
Quando pensava ser meu fim
O fim da tortura
O calor
Surgiu num rugido mudo
E me engoliu num trago só
Inconsciência novamente
Porém não foi como eu pensava
O fogo não havia me consumido
Mas sim fortalecido
Me senti forte e perfeito
Foi quando o ar fresco ressurgiu
Vi o mundo novamente
E me alegrei
Estava feliz como nunca havia me sentido na vida
Mas a vida não é feita de alegrias
Ao menos para mim
Apenas vi a faca serrilhada
Senti seu sorriso brilhar entre suas serras
A dor
Depois do corte a dilaceração
Dilacerado por completo
Arrasado
Jogado num nada
Por fim
Decomposto eu estava
E nada mais de mim restava
Enfim
Esta foi minha vida.

pao.jpg

Anúncios

Um comentário sobre “

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s